Seguidores

sábado, 25 de julho de 2015

VIDA E MORTE...(por causa de um familiar, que acabou por falecer)



Esta semana lidei de perto com a morte.Andei pelos
hospitais.Estive nos cuidados intensivos e vi o esforço
de médicos e enfermeiros para salvar vidas e o
desespero quando sabem que não o vão conseguir.
Sempre tive muito respeito por essas duas profissões
e cada vez tenho mais.
Nesses sítios verificamos que entre a vida e a morte
há uma distância muito pequena!
Não deveria haver no ser humano uma série de coisas
-que são fúteis- e a vida deveria ser vivida de uma
outra maneira e tendo sempre em conta as pessoas
e a forma de as tratar com respeito, cordialidade e
amizade.
Estar de perto com a vida e a morte de uma forma
muito intensa durante a semana que hoje termina.
deu-me um forte abanão!!!
Não somos nada!!! Apenas um pequeno grão de
qualquer coisa que nos faz funcionar mas que também
de um momento para o outro pára!!! Quando se vê
uma vida terminar - a passagem - há muitas perguntas
que ocorrem, mas as respostas custam a chegar!!!
Vida e morte se cruzam constantemente...
E pode ser a qualquer momento, a qualquer facção
de segundo. Vida agora...morte depois...o tudo e o
nada? Ou só uma passagem? Não tenho a resposta.
Irene Alves

14 comentários:

Elisabete disse...

Lamento a sua perda, Irene.
Um beijo do fundo do coração.

Magia da Inês disse...


Meus sentimentos pela sua perda!
A vida é tão efêmera que não vale a pena guardar mágoas.
Devemos perdoar sempre que necessário para vivermos em paz.
Viver as pequenas alegrias do dia a dia, como o amor que recebemos e doamos para os nossos familiares.
E, é claro, fé em Deus em primeiro lugar.

Boa semana!!!
Beijinhos.ჱه° ·.
❤˚° ·.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Irene.
Certo é que não há respostas.
Aumenta ainda mais o sofrimento da perda, já de si, atroz.

bjn amg

papoila disse...

Já estive várias vezes nessa situação e há muito que fui "abanada", foi um grande momento e como ainda era bem nova pôs-me os pés no chão e eu aprendi a lição: dou valor a tudo: no hoje, aqui e agora...o resto logo se verá.
Um abraço e que descanse em paz quem partiu...
xx

ONG ALERTA disse...

Verdade nascemos para um dia morrer .... Paz beijo Lisette.

Arco-Íris de Frida disse...

Bem te entendo... ate mesmo pelo meu trabalho, acabamos por aprender que a vida é mais fragil do que pensamos...

Beijos...

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

O teu alento está no desabafo que brilha por Homenagem a quem partiu (lamento-o por ti) e, cumulativamente e de modo diferente, as Pessoas que se dispõem a Servir.
Não fora o envolvimento pessoal e o teu brilhante texto teria a mais alta classificação em Comunicação.
Descreveste bem alto o que te vai na Alma.



Beijos



SOL

Diná Fernandes O.Souza disse...

Bom dia Irene, entendo bem suas colocações, trabalhei como Técnica de Enfermagem 27 anos e convivi com esse dilema, a efemeridade da vida.Meus sentimentos pela perda. Mas a vida segue, outros precisam de ti.
Lindo texto, mesmo dorido.
Um abç!

POESIAS SENSUAIS E CONTOS disse...

Boa tarde. Deus conforte o coração...

Julia L. Pomposo disse...

Mis condolencias Irene, ahora estoy de vacaciones y apenas entro en los blogs, por eso no me había enterado antes.
La muerte está tan unida a la vida desde el momento en que nacemos, que a veces nos olvidamos que tiene que llegar y nos sorprendemos cuando ocurre.
Besos y un fuerte abrazo desde España

Rita Freitas disse...

É verdade. Tive de lidar com a morte ainda muito jovem, a da minha mãe, e sei o abanão que dá. Mas, como acredito na vida para além da morte dá-me um consolo saber que um dia vamos nos reencontrar.
Beijinhos e força

Marineide Dan Ribeiro disse...

Entendo bem o que você está dizendo...Também estou passando por isto! É muito triste. Meu cunhado está em fase terminal de câncer (generalizado) a meses...Agora mandaram pra casa...A casa da minha irmã parece uma UTI!!! Paciência e muita fé é o que temos pro momento!


Beijos e muita força!!!!

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Irene. Toda perda é muito triste e eu espero que Deus console a ti e aos familiares.
A vida é muito frágil e passageira. De fato, o desenlace pode ocorrer num instante que sequer imaginamos.
Somos personagens aqui e una hora a peça termina, mas certamente, um palco novo é criado no seu onde estará nosso repouso e nova missão.
Fique com Deus.
Beijos na alma.

Tais Luso disse...

Oi, Irene, também já estive pensando tanto nisso... a morte está presente todos os dias, a toda a hora passa perto, faz o seu ofício, deixa o seu recado, mas parece que as pessoas não entendem... e continuam a mesma vida que até então levavam.
Belo teu texto.
Grande beijo.