Seguidores

domingo, 14 de junho de 2015

Fonte: Notícias ao Minuto

Escreve Sousa Tavares que, cerca de seis meses após a detenção, “agora, já vi o suficiente e não me é possível continuar calado”. E diz mesmo que “parece ser uma vingança” o Ministério Público (MP) propor prisão domiciliária com pulseira eletrónica, algo que “sabia que ia ser recusado” e que terá sido uma forma de “estender uma armadilha” ao antigo governante.
O escritor critica ainda o que diz ser “pré-julgamentos públicos promovidos pelo MP”, sugerindo que certas atuações em casos mediáticos “não passam de uma indecente e desleal forma de litigância”.
Sousa Tavares diz ainda que “a manutenção de Sócrates em prisão preventiva é uma decisão (…), em
Escreve Sousa Tavares que, cerca de seis meses após a detenção, “agora, já vi o suficiente e não me é possível continuar calado”. E diz mesmo que “parece ser uma vingança” o Ministério Público (MP) propor prisão domiciliária com pulseira eletrónica, algo que “sabia que ia ser recusado” e que terá sido uma forma de “estender uma armadilha” ao antigo governante.
O escritor critica ainda o que diz ser “pré-julgamentos públicos promovidos pelo MP”, sugerindo que certas atuações em casos mediáticos “não passam de uma indecente e desleal forma de litigância”.
Sousa Tavares diz ainda que “a manutenção de Sócrates em prisão preventiva é uma decisão (…), em termos jurídicos, absolutamente insustentável” e que, pela sua parte, “e como todo a gente de boa-fé”, continua “sem saber se José Sócrates é culpado ou inocente das suspeitas ou suspeições que contra ele foram levantadas pelo MP”.

3 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Passando para deixar um abraço.

Excelente semana, beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Irenamiga

Até o Miguel Sousa Tavares... Fico à espera do Marques Mendes e da Manuela Ferreira Leite e do Camilo Mendonça e do José Gomes Ferreira e outros que tais...

Mais: permito.me transcrever aqui duas notícias de ontem (24) sobre declarações do putativo PR. Desculpa-me serem as transcrições tão longas mas, a meu ver merecem-no. A primeira é sobre o seu ego; a segunda diz respeito à privatização da TAP

EGO

«Em conversa informal com os jornalistas a bordo do avião que o transportou esta tarde para Sófia, onde irá iniciar na segunda-feira uma visita oficial à Bulgária, o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, foi confrontado com as críticas ao cariz partidário do seu discurso na sessão solene do 10 de Junho.

A resposta foi pronta: "só faço aquilo que considero que corresponde ao superior interesse nacional", afirmou, reiterando que não participa em jogadas político-partidárias, não cede a pressões, venham elas "da direita, da esquerda, do centro ou das costas".

Mas, Cavaco Silva foi ainda mais longe, lembrando que depois de já ter vencido quatro eleições - duas legislativas e duas presidenciais - com mais de 50% dos votos, o seu "ego está mais do que satisfeito".

"Está no máximo, não preciso de mais nada", gracejou.

No último discurso do mandato no Dia de Portugal, o Presidente da República declarou que Portugal pode olhar o futuro com confiança, palavras elogiadas por PSD e CDS-PP mas que mereceram críticas da oposição.

Pelo PS, o líder parlamentar, Ferro Rodrigues, criticou o Presidente da República por ter tido "um discurso totalmente colado" ao do Governo, relativamente à crise e à sua evolução, enquanto o deputado do PCP António Filipe lançou farpas ao discurso "partidário" e de intervenção na campanha eleitoral feito pelo Presidente da República.»


TAP

«O Presidente da República disse, este domingo, estar "mais aliviado" relativamente à privatização da TAP, considerando que tudo aponta para que a transportadora aérea possa permanecer autónoma, com uma base de operações em Portugal e satisfazendo o serviço público.


Em conversa informal com os jornalistas a bordo do avião que o transportou para Sófia, onde inicia na segunda-feira uma visita de Estado à Bulgária, o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, foi questionado sobre a privatização da transportadora aérea tendo confessado estar um pouco "mais aliviado".

"A maioria do capital é português, temos de aplaudir", disse.

Sem se querer alongar muito sobre o assunto, Cavaco Silva começou por recordar as suas afirmações no final de abril, quando disse recear que acontecesse o mesmo à TAP que a outras companhia de 'bandeira' europeias, como a Alitalia.

Interrogado sobre a avaliação que Bruxelas fará do negócio, o Presidente da República explicou que as informações que recebe são dadas pelo Governo e pela Direção-Geral da Concorrência, adiantando que a conjugação dos dois documentos aponta para que a TAP tenha possibilidade de permanecer uma "companhia europeia autónoma, com um 'hub' [base de operações] em Portugal, satisfazendo serviços públicos e mantendo as especificidades próprias" relativas ao Brasil e aos países africanos de língua oficial portuguesa.

À pergunta sobre ao valor do encaixe financeiro que o Estado estará com a venda da companhia aérea, Cavaco Silva respondeu com outra questão, interrogando os jornalistas sobre que valor que pagariam por uma empresa que tem uma dívida de mil e 60 milhões de euros.

O Presidente da República escusou comentar a possibilidade do negócio ser revertido - como já prometeu o PS, caso seja Governo - dizendo apenas que não contam consigo para participar em pessimismos e miserabilismos, numa alusão ao seu discurso na sessão solene do 10 de Junho.»


É de homem! (com caixa baixíssima)

Qjs do

Pernoca Marota

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, pessoalmente nunca alinhei na condenação publica do Sócrates, pretendida pelo ministério publico, sempre a combati e continuo a combater, sabemos que quem não pensa pela sua própria cabeça, fez e faz o jogo daqueles que agiram premeditadamente na condenação publica do Sócrates, Sócrates é um preso politico a mando da direita, tudo foi pensado para que tudo acontecesse no momento certo, para que a imagem do PS fosse prejudicada, os objectivos tem sido conseguidos.
Se Sócrates foi subornado tem que ser condenado, que seja investigado sem que tenha que estar preso, pergunto se a justiça é tão justa e não age politicamente, porque razão o conselheiro do estado e do Cavaco e Silva, Dias Loureiro não está preso? porque razão os corruptos do BPN que são todos do PSD foram absolvidos? Porque razão o ministro da saúde que é culpado de muitas mortes por falta de assistencia hospitalar, não lhe foi levantado um processo crime? fico por aqui, ainda com a esperança que os portugueses não acreditem numa campanha de medo que este governos vai utilizar na campanha eleitoral e que os ponham na rua para que o povo possa ter uma nova esperança e assim voltar a viver com dignidade.
AG