Seguidores

domingo, 11 de janeiro de 2015

O povo francês disse nas ruas que a LIBERDADE é para eles muito importante

O polícia estivera sob grande tensão, até essa hora, na praça Léon Blum. Fazia parte das forças especiais, que protegeram as personalidades de primeiro plano, internacionais e francesas, que marcharam apenas duas centenas de metros antes de a maré humana de manifestantes anónimos (certamente com mais de um milhão de pessoas) ser autorizada a arrancar da Praça da República. Era de facto impossível controlar o que quer que seja.
Às 16h30 locais, havia tanta gente nas ruas dos quarteirões a leste de Paris, que os manifestantes transbordaram da praça da República para todo o décimo primeiro bairro e para os bairros adjacentes.
À praça de Léon Blum chegavam desfiles ocupando todas as ruas - pelo boulevard Voltaire, como estava previsto, mas também pela avenida Parmentier e pela rua de la Roquette. Uns vinham da praça da Bastilha, outros dos arredores do cemitério Père Lachaise, locais onde não estavam previamente previstas concentrações.  
Ao mesmo tempo, estavam igualmente cheias de gente a larga Avenida da República e muitas outras ruas do 11º, 20º e 12º bairros. Quase metade de Paris estava repleto de gente nas ruas e, às 17h locais, até a Praça da Nação, onde terminará a manifestação, já estava repleta de manifestantes. Um mar de gente, sem dúvida porque, à mesma hora, a Praça da República, a 3 km, ainda estava a transbordar, bem comos as ruas adjacentes.
É impossível contabilizar o número aproximado de pessoas nas ruas parisienses. Mas impõe-se uma certeza: Paris está a viver esta tarde uma marcha imponente, que ficará sem dúvida para a História das revoltas cidadãs contra o fanatismo e o terrorismo.   

6 comentários:

Zulmira Romariz disse...

Irene, fui uma tragédia o que aconteceu
em França, apesar de tudo aquelas pessoas já não estão connosco,beijo amiga

Cidália Ferreira disse...

Um assunto que me assusta.

beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Irenamiga

Só não aceito a presença de Netanyahu, ele próprio com graves culpas na consciência - se é que a tem. Ai Hollande... fazes cada uma, cada duas é um par!...

Qjs

José María Souza Costa disse...

Olá, bom dia.
Neste inicio de semana. Caminho por aqui, para desejar-te, um ótimo dia para você, e uma ótima semana.
Que o Criador, lembre-se das nossas fraquezas, e ajude-nos a seguir adiante, afinal, independente da condição social, todos precisamos de algo para compor os momentos da vida. Um abraço.

O Árabe disse...

É, Irene... às vezes, atos que jamais deveriam ter sido praticados geram repercussões que nos renovam as esperanças no mundo e a fé nas pessoas. Boa semana!

Manuel Luis disse...

São pacificas, são pela paz! Como eu.
Um excelente ano para si.
Abraços