Seguidores

sábado, 24 de janeiro de 2015

Do poeta amigo: DILMAR GOMES

A VOLATILIDADE DA PALAVRA

Andando pela rua em determinados dias
ou ocupado com alguma tarefa inadiável
chega-nos, de repente, um cabedal de signos;
 palavras soltas pedindo passagem...

Os vocábulos ricocheteiam em nossa cabeça,
reclamam porque não estamos a postos
para ordená-los no papel, no pc, no tablet;
enfim querem vir à luz através de um poema...

Entretanto, no momento adequado, em tese,
 desincumbidos das coisas que nos prendiam,
quando convocamos aqueles vocábulos inquietos,
os mesmos já  batem  à porta de outro poeta...
 
Sugiro uma visita ao seu blogue:
 

4 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Querida amiga Irene, agradeço de coração esta deferência. Faltam-me palavras para agradecer-te à altura, pois fui pego de surpresa, de uma agradabilíssima surpresa. MUITO OBRIGADO.
Um abração daqui de Porto Alegre, sul do Brasil. Tenhas um lindo domingo e uma bela semana.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Causa-me fascínio os poemas que conversam
com quem os lê.
Para mim são os mais belos.
Fica a vontade de guardá-los para sempre.

Que ainda haja estrelas em seu coração,
é o que deseja minha vida para a tua.

Elisabete disse...

São versos muito lindos.
Bom domingo, cara Irene.

Zulmira Romariz disse...

Irene, gostei da poesia, que ótimo
divulgar coisas belas, vou visitar
blogue, beijo amiga e boa semana