Seguidores

domingo, 11 de janeiro de 2015



ALHOS VEDROS



Que já existia, segundo documentos antigos, antes da atribuição do seu Foral em 1514,



e que pode (se se interessar pelo assunto) consultar o livro: Alhos Vedros Economia,



Administração e Demografia – Sécs. XIV-XVIII de António Gonçalves Ventura edição



da Câmara Municipal da Moita, apenas de 300 exemplares.



Pois bem, Alhos Vedros que foi sede de concelho, foi sempre “su

rripiada” dos seus bens



e espaço demográfico, primeiro com a criação do concelho do Barreiro e depois do



concelho da Moita “à sua conta”.



Como se isso já não tivesse sido MUITO GRAVE ao longo da sua história, após o



25 de Abril de 1974, os executivos camarários sempre da força política CDU, através



dos seus orçamentos anuais, desde o primeiro momento até ao presente, sempre prejudicaram



Alhos Vedros. E a sua decadência sempre acentuada, se agravou nestas últimas 4 dezenas



de anos, com o fim da indústria corticeira, textil e as salinas.



Era bom que o executivo camarário ds Moita lesse com atenção este livro e tirasse as



devidas ilações. Alhos Vedros que já foi gloriosa hoje está numa situação de grande



degradação.

A nível Cultural é quase ZERO. O comércio é fraquíssimo. A zona principal da vila

de Alhos Vedros tem uma fraca iluminação. As zonas verdes são muito pobres...

Há uma acentuada degradação nas habitações (ver o Largo da Igreja)...

Enfim, quem cá vive sabe bem a real situação.



Irene Alves












1 comentário:

Observador disse...

Passo para desejar um bom domingo.
Alhos Vedros? Conheço bem.
Um abraço, Irene.