Seguidores

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

retirado da página do Facebook de Natália Canais Nuno(com autorzação)

tudo se me escapou...
já o sol partiu do jardim,
não encontro em mim
aquela vontade... o pensamento...
se esquiva, meu voo é curto e fatigado
a esperança é o fio a que me atenho
e para que viva...
a saudade de onde venho.

voam os pardais de asas empapadas
trago no rosto o final de Agosto
o destempero do tempo
e as marcas pesadas,
já me apresso
antes que o tempo me consuma
à vontade já nada peço
o fogo é extinto, nem passado
nem presente, nem coisa alguma
tudo se me escapou
nada volta ao meu peito, nem o vigor!
resta-me a paz e o rôr de horas
em pensamentos vãos
até que as palavras me voltem às mãos...
natalia nuno
rosa nuno

4 comentários:

Ricardo- águialivre disse...

Poema maravilhoso

Deixo um beijo...

http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Cidália Ferreira disse...

Soberbo poema.Parabéns, boa escolha

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Arco-Íris de Frida disse...

o fogo é extinto, nem passado
nem presente, nem coisa alguma
tudo se me escapou
nada volta ao meu peito, nem o vigor!

Lindo poema...

Beijos...

Natalia Nuno disse...

Obrigada amiga Irene por partilhar.

a minha gratidão também para quem leu e deixou palavras de apreço...

para todas as amigas/os meu abraço