Seguidores

sexta-feira, 19 de setembro de 2014


PORQUE ME MATEI?





Fui uma criança como tantas outras...



Depois fui crescendo, a escola...os amigos/as...



As brincadeiras... Os sorrrisos!... A felicidade...



É a vida que é difícil ou fui eu que a tornei insuportável?



Insuportável para a minha família? E para mim?!!!



As drogas... (que parece que libertam, quando aprisionam!!!)



E de seguida o álcool... E tudo se misturando...e eu já sem lucidez!!!



Que me restava? Quais as respostas da Sociedade para com um ser como eu?



Ignoram-me...passam sem me querer olhar...



Então porque me matei?



Porque há muito QUE ESTAVA MORTO!!!
 
Irene Alves


19 comentários:

Mira disse...

Gostei do texto e do seu significado
realmente, muitos vivos, estão mortos,
Irene, quanto há blusa se a quiser está
disponivel, é tamanho 38-40, mas por
ser malha é mais fácil entrar outro
número, é só enviar-me sua direção,
para o meu email
miraromariz@gmail.com

Cidália Ferreira disse...

Adorei ler!

Beijinhos Amiga
Tenha um bom fim de semana.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

papoila disse...

Não resisto a fazer esta pergunta: onde é essa varanda?
Fantástica vista!
Desculpa o comentário nada tem a ver com a morte dramática do teu post.
xx

Observador disse...

Bela inclusão filosófica, Irene.

Bjs e bom fim de semana.

Anne Lieri disse...

Triste, mas muito linda sua poesia,Irene! bjs e bom domingo,

© Piedade Araújo Sol disse...

triste e no entanto real...

:(

Paloma Viricio disse...

Nossa...que profundo! Infelizmente existem muitas pessoas em situações parecidas. :(
Beijos!
Monólogo de Julieta

SOL da Esteva disse...

Um Poema feito de realidades que a cada dia são mais presentes. Que o grito dos que sofrem se eleve, já que o silêncio nos amordaça a Alma.
Belo Poema, Irene.


Beijos


SOL

Nilson Barcelli disse...

Um poema interessante.
Principalmente pelo inesperado.
Pelo menos a mim, surpreendeste-me. E, quando assim é, o poema é muito bom.
Tem uma boa semana, querida amiga Irene.
Beijo.

Luma Rosa disse...

Oi, Irene!
As drogas matam lentamente... Mas saber-se morto já é um sinal de consciência.
Beijus,

Arco-Íris de Frida disse...

É tragico... uma historia triste... mas... nao pode ser mudada no final?

Beijos...

O Árabe disse...

Realmente, Iene, dá o que pensar! Temos tanto que fazer por nossos jovens! Belo post, minha amiga; boa semana.

Olhos de mel disse...

Uma postagem para reflexão. Na verdade, ao longo das nossas vidas, sofremos várias mortes emocionais. E quando ficamos a margem da sociedade, quando somos excluídos, vamos nos entregando mais ao vício, até perdermos o controle da situação. Então vem o desespero, e num momento de extrema incompreensão, solidão, cometemos o suicídio. Mas antes do fato, quantas mortes já vivemos?
Beijos

Olhos de mel disse...

Uma postagem para reflexão. Na verdade, ao longo das nossas vidas, sofremos várias mortes emocionais. E quando ficamos a margem da sociedade, quando somos excluídos, vamos nos entregando mais ao vício, até perdermos o controle da situação. Então vem o desespero, e num momento de extrema incompreensão, solidão, cometemos o suicídio. Mas antes do fato, quantas mortes já vivemos?
Beijos

Tais Luso disse...

Pode ser triste, mas que é a pura realidade não tenho dúvida.
Belo!
Abraços!!!

Pérola disse...

Realmente por vezes estamos mortos nesta vida injusta e tão solitária.

Beijinhos

MARILENE disse...

Esse é um terreno onde quem entra não mais vê a luz, aquela que pode trazer salvação. E morre aos poucos. Bjs.

✿ chica disse...

Melancólica e linda,Irene.Gosto de te ler! bjs,chica

Elisabete disse...

Gostei muito deste seu texto, que deve ser lido por todos os jovens.
Bjs