Seguidores

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

O pânico começa a instalar-se...

O primeiro-ministro britânico fez esta quarta-feira um último apelo aos escoceses para votarem contra a independência do território, no referendo de 18 de setembro. "O Reino Unido é precioso e especial. Por isso, não se deixe que alguém na Escócia tenha qualquer dúvida. Nós queremos desesperadamente que fiquem, não queremos que esta família de nações fique dividida em partes", escreveu o Cameron num artigo no "Daily Mail".

De acordo com o governante, a Escócia terá um "futuro mais brilhante" se continuar no Reino Unido: o parlamento terá novos poderes se vencer o "não". Caso contrário, os escoceses optam por um "tiro no escuro."

E deixa ainda um alerta: "Se o Reino Unido se partir, parte-se para sempre", referindo-se ao caráter vinculativo da consulta popular.

Entretanto, os líderes dos três principais partidos britânicos viajaram esta quarta-feira para a Escócia para ajudarem na campanha contra a independência do território.

Com o "sim" mais próximo da vitória, segundo as últimas sondagens, David Cameron, o vice-presidente do Executivo, Nick Clegg (liberal-democrata), e o líder dos Trabalhistas, Ed Miliband, lançam os últimos cartuchos para evitar o triunfo da independência escocesa. 

"Há muita coisa que nos divide, mas há uma única na qual estamos estamos apaixonadamente de acordo: o Reino Unido está melhor unido", declararam os responsáveis, num comunicado conjunto,
citado pela BBC.
Os líderes partidários explicaram, contudo, que não iriam viajar juntos, nem participar em ações de campanha conjuntas.

O primeiro-ministro escocês, Alex Salmond, acusou os políticos de Londres de estarem "desesperados" face à cada vez mais possível vitória do "sim". Uma sondagem revelada terça-feira indica que 39% dos escoceses estão contra a independência e 38% a favor, enquanto 23% revelam-se indecisos. 

No domingo, o "Sunday Times" divulgou uma sondagem que dava pela primeira vez a vitória (51%) aos independentistas da Escócia, contra 49% do "não".

Recorde-se que os três principais partidos britânicos apresentaram uma iniciativa conjunta que defende mais autonomia para a Escócia, em linha com a proposta do ex-primeiro ministro britânico James Gordon Brown que pretendia salvar os 307 anos de união.

 
fonte: Expresso online

6 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Vai ser uma boa disputa. Vamos aguardar para ver.
Abraço

Ricardo- águialivre disse...

Olá boa tarde

Até era giro a Escócia ser independente...Digo eu, sei lá

Deixo cumprimentos
......
Estou aqui:
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

DE-PROPOSITO disse...

Só dizer que deambulei por aqui.
E, que desejo felicidades.

MANUEL

Cidália Ferreira disse...

Pois!!

Deixo um beijinho grande

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Irenamiga

Para o Reino Unido a coisa está preta como dizem os brasucas. Podem passar a ser um Reino desunido...

A Europa (qual???) tem de estar atenta ao referendo. À espera do resultado final e mesmo aqui ao lado a Catalunha, o País Basco e até a Galiza esfregam as mãos e rezam pela vitória do "sim.

Mas o busílis da questão está agora mesmo na Ucrânia. Veremos que isto tudo vai dar. Talvez a União Europeia possa vir a ser a... Desunião Europeia.

Qjs

Na Travessa fala-se da falecida (???) URSS.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

HUm... não sei se tenho opinião sobre isto...